.

.

.

.

.

.

.

Curta o rei no Facebook

sábado, 20 de dezembro de 2014

Ex-vereador que tentou matar secretaria de saúde em Cidelândia amanhece morto

O corpo do ex-vereador de Cidelândia, Eudes conhecido como “Cachorrão” foi encontrado  próximo o matadouro municipal, na manhã desta sexta-feira (19) em Cidelândia. O corpo do ex-vereador estava despido, segundo informações “Cachorrão” teria sido morto a tiros em seu veículo. O corpo foi removido para o IML de Imperatriz.

IMG-20141219-WA0108 (1)O crime está envolto a muito mistério. O corpo do ex vereador foi encontrado somente na manhã desta sexta-feira, 19/12, caído ao lado do seu veículo em um local afastado da cidade. Cachorrão foi encontrado TOTALMENTE PELADO, e dentro do carro foi encontrado um BRINCO, que suspeita-se, ser de alguma mulher que estivesse com ele.

O ex-vereador Edes Alves Feitosa,  foi a júri popular popular no dia 25/03/2014. E foi condenado a 8 anos, mas vai recorrer da sentença em liberdade.

Edes já tinha sido condenado pela acusação de tentativa de homicídio, cujas vítimas foram o então secretário de Saúde do município de Cidelândia, Pedro PereiraNet_Edes_Feitosa_20140326 Carvalho de Sá, na ocasião com 60 anos, e o filho dele, Gilmar Ribeiro de Sá, que tinha 30 anos. O crime duplo aconteceu no dia 16 de abril de 2006 e na ocasião Edes Alves Feitosa era o presidente da Câmara Municipal de Cidelândia.

Segundo os autos do processo, a motivação do crime, foi porque o vereador irritou-se com o farol alto de um veículo que chegou à casa do secretário, vizinha ao bar em que estava bebendo. Na discussão Edes Feitosa atingiu Pedro de Sá com uma facada, que atingiu o baço. Dois golpes foram desferidos em Gilmar, nas costas e em um braço. As vítimas foram socorridas e trazidas para Imperatriz, onde foram submetidas a intervenções cirúrgicas e não morreram.

Em coletiva com a imprensa de Imperatriz, Juiz Marcelo Baldochi explicou sobre prisão do funcionário da TAM

O juiz Marcelo Testa Baldochi, da 4ª Vara Civil de Imperatriz, negou em entrevista coletiva, no fim da manhã desta sexta-feira (19), na Associação Comercial, que tenha chegado atrasado no aeroporto de Imperatriz para voo com destino a Ribeirão Preto (SP), ocasião em que deu voz de prisão a funcionários da TAM que o impediram de embarcar.

O magistrado disse estranhado a forma como a investigação foi conduzida pela Corregedoria Geral de Justiça (CGJ) em que não foi notificado da sindicância. Ele pediu nova investigação.

Durante a entrevista de mais de quase uma hora de duração, o magistrado falou detalhadamente sobre o episódio do último dia 6 de dezembro, em que deu voz de prisão a funcionários da companhia aérea.

O juiz começou se queixando da associação que os meio de comunicação fizeram entre o episódio do aeroporto e os demais, como o do trabalho degradante em sua fazenda, a denúncia do tabelião Robson e o ataque de um flanelinha.

“São fatos independentes que comportam apuração específica e se mostram, ao querer vincular uma situação a outra intenção, me perdoem, um tanto quanto difamatória e alheia as circunstâncias”, disse.

Sobre a prisão dos funcionários da companhia aérea, ele negou que tivesse chegado atrasado para o embarque como foi amplamente divulgado.

“Quanto ao episódio da TAM, diversamente do que tem sido divulgado em momento nenhum eu cheguei atrasado para o voo. O bilhete de viagem, o qual vou deixar à amostra para que os senhores olhem, o check in foi feito às 12h49 do dia 6. Cheguei para o embarque antes das 20h32”, argumentou.

Marcelo Baldochi acrescentou que uma deficiência da aparelhagem da Infraero não tornou possivel a leitura do bilhete eletrônico, o que o obrigou a procurar o guichê da companhia aérea para fazer a impressão.

“No guichê da TAM chegou às 20h32, onde lá já se encontrava a segunda passageira, a senhora Camila que, nas mesmas condições, teve o seu check in cancelado pela empresa e barrado o voo sob explicação alguma. Simplismente o check in tinha sido cancelado”, acrescentou.

O magistrado fez questão de dizer que o bilhete de passagem emitido pela TAM diz que o horário embarque iniciava-se às 20h21, o que reforçaria sua tese de não ter chegado atrasado.

“Tanto que na borda do bilhete, no canto, está escrito com letra pequena, mas grafado: o embarque se encerra quinze minutos antes da decolagem, cujo horário marcado eram as 21h01. Portanto durante todo o minuto das 20h46 era ainda horário de embarque. Nesse ponto as imagens da Infraero, que foram divulgadas pela Rede Globo, inclusive, mostram claramente o horário e, portanto, vêm desmentir, desmistificar a versão do atraso”, raciocinou o magistrado.

A prisão

Marcelo Baldochi disse que mandou conduzir o funcionário da TAM porque este negou a dar informações e, ainda, o agrediu com palavrões. Ele disse que a viagem à São Paulo era de necessidade premente pois seu padrasto, que o criou desde os 8 anos, havia morrido.

Diante da falta de informação insistiu pela procura do funcionário, que segundo ele, estava se escondendo em uma saleta ao lado do balcão. Essa situação, ainda conforme o magistrado, foi testemunhada pela passageira Camila, que estava nas mesma condições dele, com o check in não autorizado.

“O atendente da TAM se isolou. O outro atendente da TAM que estava ao lado nos colocou numa situação ridicularizante como se lixo fóssemos. Com total desprezo, dizendo que o senhor se vira. Não é problema meu. Chamando outras pessoas que estavam na fila e atendidas e, surpreendentemente, embarcadas no voo”, alegou.

Ao voltar a procurar o primeiro atendente para saber como ficaria sua situação dele e da passageira Camila o juiz disse ter ouvido a seguinte resposta: “Ele simplesmente virou as costas e disse rapaz vai se f... , Problema seu, vai se f... Nesse momento eu falei você vai aprender a respeitar consumidor. Insisto nessa fala várias vezes. Ou o senhor nos atende ou vou chamar a polícia para conduzí-lo”, arrematou, dizendo que em nenhum momento se identificou como juiz. Baldochi disse que mandou prender apenas um funcionário, os demais foram a delegacia em solidariedade ao conduzido.

Fonte blog da Kelly

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Após negociação com a PRF manifestantes liberam BR 010

A BR 010, Belém Brasília, no km 323 em Açailândia, no Maranhão interditada por manifestantes no início desta manhã (19)  foi liberada nesta tarde. De acordo downloadcom a Polícia Rodoviária Federal (PRF) a rodovia foi liberada aberta após negociação com uma comissão de moradores.

A PRF negociou com os manifestantes, que formou uma comissão e comprometeu-se em encaminhá-los à presença da representante municipal (Prefeita), para apresentação das reivindicações da categoria. Uma delas é a reabertura do matadouro municipal que foi lacrado hoje na madrugada por falta de condições sanitárias. Eles alegam também que não houve aviso prévio para interdição e muitas famílias dependem do matadouro para sustentar seus familiares.

Equipes da PRF estão fazendo a limpeza da pista neste momento na via.44895a847680618f2b1ef3bcdfcf3984_XL

interdicaobrlegb19122014

Justiça interdita matadouro de Açailândia e população interdita Belém Brasília em protesto

De posse de um mandato judicial, um dos oficiais de justiça lotados em Açailândia deu a  ordem para que fosse interditado na tarde desta quinta feira 18, o matadouro municipal de Açailândia, além da ordem escrita e assinado por um dos juízes da 10614124_750121388371164_2716169217289905339_n cidade, o oficial também estava acompanhado de alguns policiais militares e uma equipe com uma maquina escavadeira que foi usada para fazer uma vala na frente do local onde as carretas descarregam o gado que vem para o abate.

O oficial que cumpriu a ordem estava acompanhado de alguns policiais militares e uma equipe com uma maquina retro-escavadeira, que foi usada para fazer uma vala na frente do matadouro, onde as carretas descarregam o gado que vem para o abate.

A interdição se deu porque a prefeitura não cumpriu o prazo  de 6 meses dado pela justiça para o funcionamento do novo matadouro, que fica as margens da BR-010, saída para Imperatriz.

A população e trabalhadores do matadouro municipal revoltados com a os motivos que deram efeito da interdição do matadouro, interditaram a rodovia Federal BR 010 a Belém Brasília, para protestar contra o governo municipal, que teve seis meses para resolver o problema e não o fez, deixando assim toda uma cadeia produtiva da carne, sem trabalho e renda justo no período das festas de fim de ano quando aumenta o volume de abate de animais.

Já se forma filas com mais de 5KM em ambas as direções , o local escolhido foi a bueira onde as margens da rodovia tem um rio em ambos os lados o que impossibilita aos motoristas qualquer atalho para fugir do bloqueio.

IMG-20141219-WA0009

IMG-20141218-WA0019

IMG-20141219-WA0001

Matadouro-3

10846401_750121338371169_5831763831706189995_n

    

 

Mais de 300 casamentos comunitários movimentou a Comarca de Açailândia

IMG-20141216-WA0045 

A comarca de Açailândia promoveu na último dia, 10 de dezembro, e quinta-feira (11), casamentos comunitários nos quais selaram a união de 304 casais, sendo 260 de Açailândia, três de São Francisco do Brejão que vieram para Açailândia, e ainda 41casais da cidade de Cidelândia.

O primeiro evento aconteceu em Açailândia - sede da Comarca, e o segundo em Cidelândia - Termo Judiciário da Comarca em Cidelândia (dia 11) - a cerimônia foi na escola Isaura Amorim, às 16 horas.

IMG-20141216-WA0046 Já na sede, Açailândia, o Casamento Comunitário aconteceu no Templo Central da Igreja Assembleia de Deus - COMADESMA (na BR 222, km-03), as 4 horas da tarde.

Além do titular da Vara, Juiz André Bogéa Pereira Santos, que comandou a cerimônia, vários outros magistrados convidados para auxiliar na celebração marcaram presença no evento, no qual participou cerca de 10 magistrados, entre juízes que já atuaram na comarca e aqueles que atuam em unidades próximas.

Houve na ocasião sorteio de brindes doados por comerciantes locais e comunidade em geral, e entrega de mini bolos para cada casal de nubentes.

Fonte Jornal do Maranhão

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Policia Rodoviaria Federal, multa mais de 200 motoristas em apenas dois dias em Açailâandia

AÇAILÂNDIA – Durante dois dias de ações da Operação Rodovida, em Açailândia, mais de 200 motoristas foram notificados por algum tipo de irregularidade, e dez veículos foram recolhidos. As fiscalizações estão ocorrendo em pontos estratégicos das duas BRs que cortam o município.

Realizada em todo o Brasil pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), a operação tem o objetivo de fiscalizar veículos e motoristas nesse período em que se concentra as festas de fim de ano e as férias escolares, pois o fluxo de veículos nas estradas aumenta consideravelmente.

Mais de 30 policias estão trabalhando na operação na Região Tocantina, cuja a meta é fiscalizar cerca de 24 mil veículos nas BRs que cortam a região.

A primeira fase da operação segue até o dia 31 de janeiro. Na Região Tocantina, as ações foram intensificadas, com o intuito conscientizar os motoristas sobre as infrações de trânsito, como embriaguez ao volante, ultrapassagens proibidas e alta velocidade.

Por I noticias

Jorge Pavão é eleito presidente do TCE

Jorge Pavão é o que está à direita do conselheiro Edmar Cutrim, no Centro

O conselheiro João Jorge Jinkings Pavão foi eleito hoje em sessão extraordinária realizada no plenário Newton de Barros Bello Filho, presidente do Tribunal de Contas do Estado do Maranhão (TCE/MA) para o biênio 2015/16.

Atual vice-presidente da Corte de Contas maranhense, Pavão assume o mandato a partir do dia 1º de janeiro juntamente com os conselheiros José de Ribamar Caldas Furtado, Raimundo Nonato Lago e Washington Oliveira que foram eleitos vice-presidente, corregedor e ouvidor, respectivamente.

A eleição aconteceu de forma consensual e foi comandada pelo atual presidente, conselheiro Edmar Cutrim, cujo mandato encerra-se no próximo dia 31. Os conselheiros eleitos, após o anúncio do resultado, foram empossados de imediato por Cutrim.

Esta será a segunda oportunidade na qual Jorge Pavão comandará o Tribunal – ele presidiu a Casa no biênio 2003/2004.

Em seu discurso, o próximo presidente eleito garantiu que continuará trabalhando no sentido de fazer com que o Tribunal avance, cada vez, no processo de modernização de suas ações.

Jorge Pavão agradeceu o apoio e confiança dos familiares, amigos, servidores da Casa, de seus colegas conselheiros e dos membros do Ministério Público de Contas.

Ascom

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

IMPERATRIZ - MPMA ajuíza Ação Civil contra cartel de medicos anestesiologistas

O Ministério Público do Maranhão ajuizou Ação Civil Pública (ACP) contra a Central de Anestesiologia LTDA (Ceanest) requerendo a extinção da sociedade empresarial e o pagamento de indenização por danos morais coletivos, no valor de R$1,14 milhão que será revertido ao Fundo Municipal de Defesa do Consumidor.

De acordo com o promotor ceanest_3 Sandro Pofahl Bíscaro, titular da 2ª Promotoria de Justiça Especializada na Defesa do Consumidor e autor da ACP, a empresa, formada pela totalidade de médicos anestesiologistas de Imperatriz, praticou o ato ilícito de formação de cartel.

Segundo o membro do Ministério Público, a formação de cartel consiste no acordo explícito ou implícito entre concorrentes, objetivando o aumento dos preços aplicados no mercado.

Ele explica ainda que os nove médicos anestesiologistas que compõem a Ceanest se  desligaram coletivamente da Unimed Imperatriz, à qual eram cooperados, para a criação da empresa, formando monopólio regional na prestação dos serviços de anestesiologia. "A partir da constituição da empresa, os preços passaram a ser praticados em patamares de monopólio, já que é a própria Ceanest que negocia o valor dos serviços, independentemente do profissional que o prestará".

PENALIDADES

A Ação Civil pede a suspensão das atividades da empresa, sob pena do pagamento de multa de R$ 100 mil por dia de descumprimento, a partir da decisão. Além disso, a Ação reivindica que os anestesiologistas que integram a sociedade passem a atender individualmente, encaminhando ao MPMA relatório com a lista de pessoas atendidas, valor da consulta cobrada e local de atendimento até o dia 5 de cada mês, num período de seis meses, sob pena de multa de R$ 50 mil.

A Ação Civil Pública prevê, ainda, o pagamento de multa de R$100 mil para cada tentativa de restaurar a sociedade empresarial ou qualquer ato que vise à formação de cartel, a exemplo de reuniões, mesmo que sejam informais; ou criem qualquer tipo de empecilho à participação de outros profissionais da área em Imperatriz.

Sandro Bíscaro diz, ainda, que os anestesiologistas podem ser processados individualmente por formação de cartel, podendo pegar penas de dois a cinco anos de reclusão, além de multa.

Redação: Idayane da Silva Ferreira (CCOM/MPMA)

Feira do artesão movimenta comercio de artes na Praça da Bíblia em Açailândia!


A feira do artesão que já vem sendo realizada periodicamente na Praça da Bíblia, mais uma vez atrai os olhares da população para os nossos artesãos e artistas de outros setores como o de artes plásticas por exemplo, seguindo uma tradição que começou a pouco tempo mas que vem dando muito certo, as famosas barracas que ficam repletas de artes expostas a venda e visitação, tem dado uma aquecida no meio artístico nos últimos dias.

A feira que começou na última sexta feira, tem previsão para ir até amanhã, quarta feira 17, e até o momento a movimentação tem sido intensa nas barras que dão um atrativo a parte nas noites da Praça da Bíblia.

Um dos destaques da feira sem duvidas é o artista Vagner Santana que trabalha com pinturas e todo tipo de arte plástica. Expondo e fazendo seus desenhos a caricaturas na hora, Vagner tem conseguido um bom público em sua barraca, e também tem conseguido fazer inúmeros trabalhos na hora, um de seus serviços mais requisitados é a famosa charge feita na hora, demora apen

as 10 minutos e a pessoa já sai com sua caricatura em um quadro, pronto para colocar em sua estante ou na parede de casa.

Quem também tem conseguido atrair olhares é nossa exposição fotográfica que traz imagens de paisagens urbanas e natureza. Vale a pena conferir cada detalhe da feira, inúmeros trabalhos belíssimos podem ser contemplados e adquiridos, itens que vão desde bordado em tecidos até a confecção de brinquedos com material reciclável, além de quadros, vasos, pinturas e uma infinidade de trabalhos que vale sua visita.

Por Gilberto Freire

.

.