.

.

Curta o rei no Facebook

.

terça-feira, 10 de setembro de 2013

Adolescente de 15 anos pode ter sido negligenciada e perde recém-nascido no Hospital Municipal de Açailândia

Na ultimo dia 30 uma adolescente de 15 anos deu entrada no SESP hospital Municipal de Açailândia, afim de dar a luz a uma criança, que segundo os exames de ultrassom deveria nascer dia 29 de agosto, e foi atendida por uma medico DSC_0010que a mandou ir pra casa e retornar 8 dias depois, mesmo já tendo passada a data provável do aparto e a paciente ter se queixado de muito sofrimento por causa da grande barriga que a adolescente teria feito.

Já em casa há 5 dias a adolescente percebeu que seu bebe já não testava confortável e não se mexia mais como antes em seu ventre, a família procurou o posto de saúde onde assustada a enfermeira encaminhou de volta ao Hospital Municipal, já que teria detectado um grande sofrimento fetal, já no SESPE a medica obstetra de plantão após examinar e constar o sofrimento fetal ao invés de iniciar imediatamente procedimentos para um parto cesariano, encaminhou a adolescente para uma sala onde começou a administra medicamentos via veia afim de induzir o parto normal, horas depois a medicação não fazendo efeito aindaDSC_0013 foram introduzido dois comprimidos na vagina da menor para induzir o parto normal de uma menina de três quilos e setecentos gramas em uma adolescente de 15 anos.

Segundo a vó que acompanhava a paciente a menor não tinha dilatação e o período de expulsão durou por toda a tarde e parte da noite e aparente mente com grande sofrimento fetal e da parturiente, que veio dar a luz só após a 00h do dia 5 de setembro por tanto 8 dias após a data provável do parto.

A criança nasceu com graves dificuldades dado o sofrimento fetal por passar vários dias da data do aparto, e por varias horas de complicado trabalho de parto, que foi induzido com drogas em uma criança que já não tinha vigor dentro do útero, e assim que nasceu foi levada para imperatriz onde foi para uma UTI neonatal equipamento que não tem em Açailândia vindo a óbito já no dia seguinte.

Segundo a Vó a medica que atendeu em imperatriz afirmou que possivelmente ouve negligencia por não ter sido feito um parto Cesário imediatamente já que a criança provavelmente estaria sofrendo em correndo risco por ter passado

A causa morte constatada pelo IML de Imperatriz foi Síndrome da aspiração neonatal, que é : é quando um feto aspira mecónio,( fezes) o que pode obstruir as vias DSC_0017respiratórias e irritar os pulmões. Já a eliminação de mecônio,(Fezes), intra-útero é considerada como sinal de sofrimento fetal. Já quando o medico verifica que o liquido amniótico está a ter mecônio (o feto defecou dentro do útero) será preciso finalizar a gestação, visto que isso pode indicar que o bebé não se encontra bem, e pode respirar o liquido enchendo os pulmões e vias aéreas com suas próprias fezes, e neste caso em particular ainda tinha o possível envelhecimento da placenta por ter passado da data do aparto o que aumentou o sofrimento fetal e a necessidade de imediata intervenção cirúrgica para a retirada do bebe que neste caso estaria com vida.

10 comentários :

  1. lamentável mais um caso como esse em nossa cidade, cadê a saúde de excelência que andam noticiando por ai?!

    ResponderExcluir
  2. No governo de Ildemar absurdos como este também acontecia e é uma pena que neste governo que tanto acreditei continua acontecendo.

    ResponderExcluir
  3. a saúde pública de açailandia sempre foi muito pésima espero que mude alguma coisa ,,,não é de hoje nem de ontem isso vem acontecendo há 25 anos que eu moro aqui sempre teve isso,,,foi por esse motivo que levei minha esposa pra dar a luz em imperatriz,,,e lá um medico me falou que muitas vezes que há complicações no parto isso já vem de uma gravidez mal cuidada.

    ResponderExcluir
  4. Em vez de colocar medico de carreira com experiencia e professores q tenham compromisso e curriculum, coloca um monte de mercenarios q estão pouco se importando com a prestação do serviço apenas pensam em ganhar dinheiro assim tem sido na saude e na educação, um ambiente de mentira que a prefeita esta tendo q suportar em função dos acordos politicos,é assim em Açailandia, no Maranhão , no Nordeste e no restante do Brasil

    ResponderExcluir
  5. quanto sofrimento antes mesmo de nascer, e a mãe tbm sofreu muito, lamentavel, agora só cabe a familia tomar as providencias e nao deixar barato, sei q nao vai trazer a vida do bebe , mas sera a justiça feita pela familia, nao podemos ficar de braços cruzados , de agora em diante temos q sermos fortes e lutar pelos nossos direitos.
    e aki fica uma mensagem p´ra familia, q deus deem forças a todos e paz para a mãe do bebe.

    ResponderExcluir
  6. Semana passada foi o irmão do Gordo da lanchonete que foi vítima de um procedimento errado lá no SESP que o levou a morte.Quando de fato teremos médicos na saúde pública de Açailandia ?

    ResponderExcluir
  7. PARABÉNS PARA O GOVERNO DE EXCELÊNCIA
    QUERO VER É SE O FILHO DA PREFEITA VAI JUSTIFICAR O TANTO DE EMPREGO E SALÁRIOS QUE RECEBE DOS COFRES PÚBLIOCOS

    ResponderExcluir
  8. Pena mesmo...Sei bem como é o atendimento ali naqle Cesp,,,é pessimo,as pessoas so trabalham de mal humor,começa na recepeçao,ai vem enfermeiros e medicos' lamentavel.Pq ñ colocam pessoas qualificadas para trabalhar e q queiram trabalhar,isso infelizmente ainda vai aconteçer muitas e muitas vezes.. ..Cade o governo de exelencia,q visava prioridade a Saude?

    ResponderExcluir
  9. Muito me admira todo esse espanto... quer dizer que no governo anterior tinha UTI e que a atual administração retirou, é isso mesmo? E quer dizer que nunca aconteceu mortes e negligencia no governo anterior? paciência, ninguém merece!!! Esse povo que postas estas criticas certamente são pessoas que perderam as tetas da prefeitura. SE TA PÉSSIMO AGORA È POR QUE JÁ ERA.

    ResponderExcluir
  10. levei milha filha pra galha bebe. e chegando la o enfemeiro chamado demertriofalou que milha filha ia galha no final de setenbro sedo que ela ja tava com 9 meses edez dias eainda falou que tem mulher que pode galha ate 10 meses emeio. efalou pode ir pra casa . mas eu estava acopalhada do adriano subri do vereador acelmo. gracas a ele . milha filha galhou na quele dia poisela ja tava saigrado e delatando, adriano falou com o dr daniel assim . dr resolver o problema dela aq pois gosto muito do selhor o selhor vez o pato dos meus filohs . eu confiu muito no selhor . ai ele na mesma hora solsutou milha filha . e na mesma horas ela teve o beber . epasa muito bem. mas si nao fose o adriano milha filha ia volta pra casa, e talvez ia ser outra crianccaque ia morre

    ResponderExcluir