.

.

.

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Estupro casa de passagem: ex-conselheiro tutelar Eduardo Hirata explica caso

Caro  colega  blogueiro:

Realmente, uma matéria desprovida de fundamento.

Na parte que me toca, tendo meu nome citado, é importante esclarecer que o caso é objeto de uma ação judicial, tramitando no judiciário maranhense, a passos de tarturaga, já se vê...
Neste processo, fui acusado de "negligência ou de atendimento
hirata_foto errôneo" em relação ao menino vitimado.


Comprovei no processo que:

1) o "abrigamento" do menino vitimado foi correto, social e legalmente,  e não foi feito por mim;

2) o adolescente autor do "estupro" (que não era de jeito nenhum "menino do trem", como diz a matéria, mas sim um perambulante pernambucano) foi "abrigado" na então Casa de Passagem por encaminhamento do judiciário local, não por mim ou pelo Conselho Tutelar;

3) a segurança de crianças e adolescentes sob "abrigamento" eram e continuam sendo da instituição, no caso, Casa de Passagem (Casa Abrigo).

4) quem continua sendo processado (ação em fase de recurso) é o município de Açailândia, por negligência de atendimento (falta de segurança a abrigados/as) e não Eduardo Hirata ou o Conselho Tutelar.
Assim, peço as retificações devidas à matéria, e sugiro ao nobre blogueiro que conheça dessa ação judicial e desse caso social,  de suas implicações e consequências, como política pública de atendimento de Direitos,  junto aos órgãos competentes, entre eles o CONTUA.


Ao inteiro dispor,

Eduardo Hirata

3 comentários :

  1. Agora e cupa do judiciario, mas naquela epoca vc queria ser o dono de tudo! Ate batia em criança na casa, quem não ti conhece compra caro, mas eu ti conheço bem mostro.

    ResponderExcluir
  2. Tanto que falas das pessoas, pensava que eras santo.

    ResponderExcluir
  3. Bom menino era vc Hirata! agredia ater a mãe dele.

    ResponderExcluir