.

.

.

sábado, 21 de setembro de 2013

Ministério Publico realiza audiência na câmara para tratar de acessibilidade.

Foi realizada na Câmara Municipal de Açailândia uma audiência pública para tratar das necessidades das pessoas com deficiência.Participaram da audiência, representantes de várias  entidades ligadas  à pessoa com deficiência, vereadores,  policia militar, OAB e secretárias municipais.A audiência pública coordenada pela promotoria ouviu denuncias e reclamações de surdos, mudos e deficientes físicos.Segundo dados do IBGE,  o  município de  Açailandia tem 25  mil pessoas que apresentam algum tipo de deficiência. E a grande thumb_proposional (5)maioria não tem  acesso aos direitos nas áreas da educação, saúde e transporte.  A audiência pública  teve como objtivo, colher denuncias e apontar soluções  que possam melhorar a qualidade de vida dessa parcela da população.Exemplos  diversos de desrespeito à pessoa com deficiência foram apresentados pelos representantes da mesa e o público presente.Uma professora da educação especial reconheceu que nem todas as colegas estão preparadas para atender a necessidade dos alunos. O que dificulta o processo de inclusão. O jornalista José  Luis da Silva, reclamou da dificuldade de locomoção. Morador do assentamento Califórnia, ele  disse que só chega no centro de Açailândia de táxi porque não há ônibus coletivo.E essa semana passou por um constrangimento  quando precisou de atendimento médico.Coletou material para exame de sangue no  meio da rua, porque o prédio do laboratório em que foi  não há rampa de acesso. "O acesso é uma escada e não há rampa nem para a calçada. O proprietário disse para eu reclamam ao secretário de saúde", afirmou José Luis. E ele fez isso na audiência.

As dependências da própria Câmara, que não tem banheiros adaptados para deficientes foram citadas nas reclamações. A presidente Lenilda Costa se comprometeu em resolver o problema, no prédio da Câmara.Ela também parabenizou a iniciativa do ministério público com a audiência, que deve garantir  outras mudanças positivas para os deficientes. 

Segundo a vereadora  Fátima Camelo, que também esteve presente, vários outras solicitações na câmara deverão melhorar os serviços prestados aos deficientes.Uma delas de sua autoria como o Centro de Atendimento que vai oferecer diversos serviços  à pessoa com deficiência.

Para o presidente a OAB, Erno Sorvo,  o compromisso deve ser amplo para que os direitos básicos sejam assegurados aos deficientes. Ele cobrou da secretaria thumb_proposional (3)de Meio Ambiente um posicionamento mais rigoroso os donos de lava jato. os resisduos da atividade que que ficam no meio das ruas,  torna mais difícil a vida, principalmente dos cadeirantes, que sempre estão sujando as mãos ao manusearem as cadeira.

Falta de atendimento médico, de medicação. Diretos iguais para pessoas com necessidades diferentes. Desabafos diversos,  como o de uma  mãe que cobrou mais organização nas repartições públicas, foram se multiplicando ao longo da manhã na Câmara de vereadores.

O secretário de saúde, Denison Gigante reconheceu que ainda há muito que melhorar no atendimento as pessoas com deficiência.E o município vai fazer.

Todas as reclamações e sugestões  serão avaliadas pelo ministério público, através da promotora Samira Mercês, que deve  dar uma resposta a aos deficientes através da assinatura de TAC´S, termos de ajuste de conduta entre os orgãos competentes.

por Celia Fontinele

0 comentários :

Postar um comentário