.

.

Curta o rei no Facebook

.

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Sob pressão de Sarney, Dilma diz que apoiará Flávio Dino ao governo e Roseana ao Senado

Pressionado pelo PMDB, o Planalto costurou, na segunda-feira (14), uma solução de redução de danos às suas relações com o principal aliado e criou uma alternativa na montagem do palanque no Maranhão.

A presidente Dilma Rousseff disse ao senador José Sarney (PMDB-AP) que, apesar de apoiar a candidatura a governador de Flávio Dino (PC do B), rival do clã, apoiará ao Senado o nome da governadora Roseana Sarney (PMDB-MA).dinoedilma

Sarney defendia o apoio de Dilma ao seu secretário de Infraestrutura Luís Fernando Silva.

A pressão do PMDB sobre o governo foi tão forte que a presidente Dilma Rousseff se viu obrigada a ligar para José Sarney para assegurar que continuam aliados.

No entanto, conforme o Estadão revelou na segunda (14), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma acertaram, numa reunião no Alvorada na quinta-feira passada, uma “traição cirúrgica” ao senador Sarney e a sua família, que comandam o Maranhão há 50 anos.

Na reunião, Lula, Dilma e os coordenadores da campanha pela reeleição da presidente concluíram que chegou a hora de o governo apoiar a eleição de Flávio Dino (PC do B) no estado e garantir um palanque forte para Dilma no Maranhão.

Os ministros Aloizio Mercadante (Educação), o marqueteiro João Santana e o ex-ministro da Secretaria de Comunicação Franklin Martins – além de Lula e Dilma – foram favoráveis ao apoio a Dino.

O presidente do PT, Rui Falcão, manifestou-se contra, mas foi voto vencido.

O escolhido da família é o secretário de Infraestrutura do Estado, Luís Fernando Silva, que não está bem posicionado nas pesquisas eleitorais. Um palanque patrocinado pelos Sarney, na avaliação do grupo, seria contraproducente. O dilma e roseanaapoio a Dino poderá interditar, ainda, qualquer costura local do PC do B com o PSB para franquear palanque à dupla Eduardo Campos-Marina Silva.

O cenário é ruim para Roseana e para a reprodução do apoio do Planalto à governadora. Ela enfrenta problemas na disputa pela única vaga ao Senado em 2014. Seu principal adversário ao cargo, o vice-prefeito de São Luís, Roberto Rocha, que é do PSB, está à frente nas pesquisas. Além disso, se Roseana deixar o governo para concorrer ao Senado em 2014, o vice-governador Washington Luiz Oliveira, do PT, assume o Estado. O clã Sarney considera que Washington não é completamente alinhado com a família e teme que ele não trabalhe com afinco para ajudar a eleger o escolhido para suceder à governadora.

IRRITAÇÃO E AMEAÇA – O Jornal Pequeno apurou que, ao tomar conhecimento, ainda na manhã de segunda, do vazamento da reunião no Planalto que decidiu pelo “descolamento” do PT da imagem do clã, o senador José Sarney ligou para Lula.

Fez chantagem emocional e ameaçou declarar apoio ao governador Eduardo Campos, pré-candidato do PSB.

Em seguida, Lula ligou para Dilma, que, mesmo irritada com a chantagem sarneysista, entrou em contato com Sarney. Disse que a aliança continua e garantiu apoio do governo a Roseana numa eventual disputa ao Senado. (Com Redação do JP).

Por: TÂNIA MONTEIRO
O ESTADO DE S. PAULO

0 comentários :

Postar um comentário