.

.

Curta o rei no Facebook

.

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Prefeita Gleide Santos para incobrir sua má gestão baixa decreto penalizando o servidor.

Sob a alegação de redução de despesas, que a própria prefeita excedeu a gestora proíbe concessão de vantagens e corta benefícios da categoria

Açailândia - Mais uma vez a prefeita de Açailândia, Gleide Lima Santos, tomou decisões e ações que atingem e prejudicam diretamente os quase cinco mil funcionários públicos municipais.

Desde o início de seu mandato a prefeita não vem se entendendo com a classe. Em apenas dinheiro temdez meses ela já realizou contratações indevidas, sendo obrigada pela justiça a desfazer essas contratações; brigou com o sindicato que representa a classe (Sintrasema); quis parcelar dividas patronais junto ao Instituto de Previdência Social dos Servidores do Município de Açailândia; e ainda não quis chamar os classificados em concurso público.

Agora, por meio do decreto n. 54, de 23 de outubro, a prefeita estabeleceu um novo horário de funcionamento dos órgãos públicos municipais de Açailândia, bem como uma alteração no horário de atendimento ao público.

Assim, no artigo 1º deste decreto, ficou estabelecido um aumento de duas horas diárias de trabalho, ou dez horas semanais. O novo horário ficou das 08 ás 12 horas e das 14 ás 18h, de segunda a sexta-feira.

O novo horário causou indignação em diversos funcionários, já que na maioria dos órgãos não existe movimento que justifique o acréscimo de duas horas diárias. “Ficamos praticamente parados neste tempo, já que não existem pessoas para serem atendidas neste horário. Ficamos prejudicados porque temos menos tempo para nossa família e para outras atividades”, afirmou uma funcionária da Administração que preferiu não se identificar com medo de retaliações.

O decreto vai contra as medidas adotadas em diversos municípios que fizeram o caminho oposto ao de Açailândia, reduzindo as horas de trabalho com o intuito de reduzir despesas com energia, água e outros custos.

Novo decreto

Agora justamente alegando necessidade de redução de despesas, a prefeita Gleide Santos baixou o decreto nº 57 de 29 de outubro de 2013. No texto, ela justifica sua ação falando da crise atual e das consequentes medidas adotadas pelo Governo Federal no que tange a isenção de impostos, que afetou diretamente as receitas, gerando queda no repasse do Fundo de Participação dos Municípios (FPM).

Considera ainda a necessidade da adoção de medidas de redução de despesas de pessoal imediatas, por ser este um “dever do administrador defender e zelar pelo bom e regular funcionamento dos bens e serviços em prol da comunidade”.

Dessa forma, fica vedado por meio do art. 1 a concessão de vantagens, aumento, reajuste ou adequação de remuneração a qualquer título, salvo derivados de sentença judicial ou de determinação legal ou contratual.

Também fica proibida a criação de cargo, emprego ou função; alteração de estrutura de carreira que implique em aumento de despesas; contratação de horas extras; e pagamento de licença prêmio.

Fica ainda suspensa a concessão de novas gratificações no âmbito da administração pública, bem como novos afastamentos ou cedências de servidores com ônus para o município; e concessão de licenças para tratar de interesses particulares, quando implicarem em nomeações para substituição.

Cézar Jr.

10 comentários :

  1. Servidor publico - Saúde21 de novembro de 2013 04:23

    Sinniger tu perdeu as aulas de matemática das 08hs as 12hs e das 14hs as 18hs, são somente oito horas de trabalho e mais o edital do concurso de todos foi bem claro serão oito horas trabalhadas ela ta fazendo somente uma adaptação. Sou servidor publico e concordo é uma decisão administrativa que compete a ela, agora se tem funcionario que esteja se sentindo prejudicado fica a dica peça exoneração, e terá muito tempo para relaxar em casa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. entao va trabalhar 8 horas seguidas, igual o que ela ta fazendo com as ASGs de algumas escolas

      Excluir
    2. Esse servidor da saude aí, nao sabe nem uq ta dizendo, no minimo ele r um dos poucos favorecido ou é um 15 duent, e como ele diz q é da saude ta no lugar certo emtao amigo comerce a tratar logo da sua cabeça.

      Excluir
  2. Uma verdadeira carrasca contra o servidor.

    ResponderExcluir
  3. Povo de Açailândia não esqueça. Vote consciente no dia 07 de outubro. Vote 15 para mudar esta cidade. É 15 é 15 é 15 neles!! KKKKKKKK. Toma açailândia!! O governo que o povo merece!!! kkkkkk.....

    ResponderExcluir
  4. Essa situação já era esperada desde quando Açailândia elegeu uma administradora que já passou por aqui antes da gestão do Ildemar Gonçalves e deixou um rastro, junto ao Leonardo, de corrupção e bandalheira. Sou funcionário do município e graças a Deus, meu chefe é muito humano e não permitiu que fossemos obrigados a trabalhar, sendo que tínhamos o turno oposto para estudar e/ou trabalhar em outro órgão. Enfim. Esperamos que ela encontre um norte, pois 2016 vem aí e ela não está com essa bola toda.

    ResponderExcluir
  5. Democracia é a vontade do povo. Povo burro faz merda. Povo burro vota 15. É 15 é 15 é 15 neles. É 15 no povo sofrido de Açailândia.

    ResponderExcluir
  6. Gostaria de dizer aos nobres que falaram que preciso cuidar da cabeça, que tenho minhas faculdades mentais perfeitamente bem, porém também tenho ciência e consciência de minhas responsabilidades como servidor publico e quando fiz o concurso vir no edital que seriam 40 horas semanais sendo 08 horas por dia. Pois bem aquela pessoa que se diz funcionario publico que não queira cumprir com tais obrigações tenha a humildade de se direcionar ao RH e solicitar licença ou exoneração do cargo que ocupa. Quero dizer que votei mesmo na Gleide mais não sou funcionário dela e sim da prefeitura e nem tão pouco detenho de portaria de cargo comissionado tenha paciência e reflitam o que há de errado na gestora em fazer cumprir as 40 horas semanais?

    ResponderExcluir
  7. como pode alguém nos tirar o direito adquirido, então todos nossos esforços de estudar, fazermos cursos em prol de uma melhor condição de vida será em vão... só aqui mesmo, porem não podemos ficar parados... alguém avisa para esta mulher que ela não é dona do mundo.Ela está aqui para nos representar e não nos prejudicar, não somos nós que devemos nos curvar diante dela. Devemos agir....

    ResponderExcluir