.

.

.

terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Deputado afirma que Governo escondeu a verdadeira situação de Pedrinhas durante a visita guiada

Os senadores e deputados federais que acompanharam a visita à Penitenciária de Pedrinhas na manhã de hoje não puderam conhecer a real situação do presídio que virou tema de todos os jornais. Isto porque a “visita guiada” ao presídio não passou pelas celas em que há superlotação e reunião de líderes das facções mais perigosas do Maranhão.

A denúncia foi feita pelo deputado federal Simplíciosimplicio-araujo Araújo (Solidariedade) que acompanhou a visita. “Passamos apenas pelas alas evangélicas e lugares que o governo programou para não mostrar a realidade verdadeira de Pedrinhas,” disse o deputado.

Segundo ele, há um grande problema no Governo Roseana Sarney de não aceitar ajuda para resolver as crises por que passam o Maranhão, sobretudo no setor da Segurança Pública. ““Só mostraram as alas que foram reformadas recentemente. Dessa forma, fica difícil apontarmos soluções para minimizar o caos que ali se instalou. Estão escondendo o problema e quero saber por que estão fazendo isso. Só quem pode ter acesso é o grupo Sarney, o que faz acreditarmos, infelizmente, que tudo continuará na mesma situação”, apontou.

Simplício lembrou ainda que na semana passada o deputado luis fernandoestadual Roberto Costa (PMDB), líder de uma das bancadas governistas da Assembleia Legislativa, fez uma ampla visita ao presídio e tirou foto ao lado de celas superlotadas. Simplício lamentou que o mesmo não tenha sido permitido aos senadores e deputados representantes da Comissão de Direitos Humanos do Congresso Nacional.

Dentro da unidade, onde 62 presos foram mortos desde o ano passado, detentos reclamaram que a Secretaria de Administração Penitenciária maquiou a situação dentro do local, encaminhando presos para outras prisões. Mesmo assim, a situação observada era de precariedade nas celas, e havia superlotação. Os presos afirmaram que são vítimas de tiros de armas de bala de borracha e que não têm assistência médica dentro do complexo.

“Como a oposição vai contribuir e dar alguma solução se fomos impedidos de ver a situação?”, questionou.

0 comentários :

Postar um comentário