.

.

.

sábado, 18 de janeiro de 2014

Escola de palha em Balsas-MA retrato do descaso na Educaçãode

Priscila Cruz, O Globo

O Maranhão é um retrato de absoluto descaso com os mais fundamentais direitos humanos. Para falar só de educação, o estado conta com alguns dos piores indicadores em um país que já não tem indicadores muito bons.

Desde cedo, crianças maranhenses estão muito atrás do resto do país. De acordo com a Prova ABC, ao fim do 3º ano do ensino fundamental, só 27,9% delas são proficientes em leitura, 10% em matemática e 13% em escrita. As médias brasileiras são respectivamente 44,5%, 33,3% e 30%. Ou seja: o Maranhão tem menos de metade dos resultados já ruins do país, sendo que essas crianças estão apenas iniciando a trajetória escolar.

Observando a outra ponta, vemos que, no Maranhão, somente 45% dos jovens de 15 a 17 anos estão matriculados no ensino médio, segundo a última Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad). Apenas 38% dos jovens de 19 anos que conseguiram chegar a essa etapa de ensino no estado a concluíram e, entre eles, só 11,8% aprenderam o mínimo adequado em língua portuguesa, e 1,6% em matemática.

Escola de palha em Balsas-MA. Foto: Cristiano Mariz / VEJA

A renda média dos demais 79.576 jovens dessa idade que não têm o ensino médio completo é de menos de 500 reais por mês. O estado está condenando essas pessoas a um ciclo perverso de desigualdade.

No sistema carcerário do Maranhão, palco das atrocidades que chocaram o país nos últimos dias, a cobertura educacional é precária: a taxa de matrícula de pessoas com privação de liberdade era de apenas 5% em 2012, segundo dados do InfoPen (Ministério da Justiça). Aqueles que não chegaram ao fim do ensino médio somavam então 91%, e, entre eles, a grande maioria sequer completou o ensino fundamental.

É urgente que haja maior prioridade, atenção e ação para rompermos a situação de calamidade da educação no Maranhão há anos. Até quando vamos remediar desastres anunciados? Não seria o caso de o Brasil acordar de vez para a importância estratégica e humanitária da educação das nossas crianças e jovens? Resta alguma dúvida sobre qual é a área em que deveríamos estar investindo prioritariamente nossos recursos para mudarmos de patamar e conquistarmos um Brasil que seja realmente de todos?

Entre o urgente e o importante, chegamos ao ponto de ter que lidar com ambos ao mesmo tempo. A vida de muitas crianças e jovens depende de nós — uma parte muito pequena de pessoas privilegiadas que acordam de manhã e pegam o jornal para ler.

Depende de nós demandar uma nova prioridade estratégica para o país de olhar o futuro de forma mais generosa para com toda a população brasileira, principalmente para aqueles que, mesmo sendo a maioria, têm pouca voz e influência.

Chegou a hora de a indignação se voltar para os milhões de crianças maranhenses e brasileiras cujo direito à educação é negado.

Priscila Cruz é diretora executiva do movimento Todos Pela Educação.

4 comentários :

  1. José Reinaldo, e Jackson Lago. já passaram pelo palácio dos LEÕES .
    como oposição . qual foram as medidas para mudar está situação ??
    casa de palha , Flavio Dino. resolverás os problemas ? esperando aqui no blog seu ponto de vista .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo, foram quase 50 anos de descaso com o povo maranhense promovido pela família Sarney. E digo mais: além de em 8 anos ser impossível fazer algo de concreto, nós temos uma Assembleia Legislativa e um Senado composto por pessoas da família Sarney. Ainda quer mudar alguma coisa? Pois elejamos pessoas ligadas a Flávio Dino para governar esse Estado.

      Excluir
  2. já vimos que vc é um tremendo imbecil,mas dev ser é um colerin branco. Ganhando o seu os outros é que se explodam.

    ResponderExcluir
  3. E uma vergonha que imagens como essa, ainda exista moro no Maranhão a 12 anos, e vejo que nada fazemos para mudar essa realidade, enquanto esses políticos ficam milionários com o dinheiro publico nossas crianças, ficam sem amparo dos governantes, nos últimos dias, o que mais se falou foi sobre a crise prisional em São Luis, e o que mais me chamou a atenção foi o Secretario de segurança publica falar que serão criadas mais 2.500 vagas nos presídios do Maranhão, penso que ao invés de fazer investimentos em presídios, deveria investir na EDUCAÇÃO DOS NOSSOS JOVENS porque só assim teríamos pessoas honestas, e não ficar criando vagas para acolher bandidos dentro de cadeia temos que mudar nossa realidade, ao invés de criamos um programa que beneficia os presos vamos cuidar de quem esta fora para não entrar, nesse sistema penitenciário, vamos dar mais educação para os jovens, ofertar cursos de qualificação profissional e quando falo em qualificação não são esses cursos que ensina a fazer jarro de barro ou bordado, vamos ensinar profissão aonde as pessoas possam tirar o dinheiro do seu sustento e não cursos que de nada servirão para nós... SO DIGO UMA COISA AS ELEIÇÕES ESTÃO CHEGANDO VAMOS MUNDAR TUDO DE RUIM QUE TEM NESSA POLITICA DO MARANHÃO VAMOS ELEGER NOVOS DEPUTADOS, E SENADORES PARA O NOSSO MARANHÃO PORQUE TEMOS PESSOAS QUE ESTÃO LÁ NA CAMARA ESTADUAL/ FEDERAL QUE APENAS VEGETAM, E ENRIQUECE COM O DINHEIRO DO POVO... GOVERNADORA ENQUATO VOCÊ GASTA 1 MILHÃO COM CAMARÃO NOSSAS CRIANÇAS MORREM NOS HOSPITAIS A SENHORA QUANDO SENTIR UM DORZINHA CORRE PARA O HOSPITAL SIRIO-LIBANES, PORQUE VOCE NÃO ULTILIZAR O SERVIÇO MEDICO DO ESTADO, SERA QUE NÃO VALE NADA, OU A SENHORA E MUITO BOA PARA SE DEIXAR SER ATENDIDA EM HOSPITAIS PUBLICOS...

    ResponderExcluir