.

.

Curta o rei no Facebook

.

segunda-feira, 14 de abril de 2014

Sessão tensa e controversa na câmara de Açailândia

DSC_0463

Em meio a um clima tenso, com segurança reforçada, a Câmara Municipal de Açailândia realizou sessão extraordinária na ultima sexta-feira, após uma guerra de liminares, a presidente da câmara Lenilda Costa iniciou a sessão às 20 horas. Porém a presidente Lenilda não entendeu que seria nesta sessão extraordinária que a denuncia deveria ser apresentada. Ela abriu e fechou a sessão informando que a denúncia seria lida na próxima sessão ordinária, após encerrar a sessão a presidente se retirou do plenário juntamente com mais dois vereadores. Jose Li e Sarney Moreira.

DSC_0469O vice-presidente Macio Aníbal assumiu a presidência e reabriu a sessão com o apoio de 13 vereadores, determinou ao secretario fazer a leitura da denúncia e em seguida deu início a votação. Treze vereadores votaram a favor da criança da Comissão Processante, Canela (PSB), Dionar Freire (PRTB ), Carlinhos do Foro (PR ), Pedro (PDT), Vagnaldo (PSC), Fanio (PRB), Bento Camarão (PMDB), Fabio Pereira (SDD), Macio Aníbal (SDD), Fatima Camelo (PSDB), Anselmo (PPS), Marquinhos (PCdoB), Sergionar (PSDB), Vale ressaltar que a Câmara Municipal de Açailândia é composta de 17 vereadores, sendo que o vereador Aluísio Silva está afastado por motivos de saúde. Todos os outros 16 participaram do processo, porém 3 não votaram Lenilda (PMN), Sarney Moreira (PRTB), Jose LI (PSDB), ao se retirarem do plenário, após a presidente abrir e fechar a sessão.

DSC_0480O requerimento da criação da Comissão Processante, além de pedir a investigação da prefeita, requeria o afastamento dela por 90 dias. Porém, minutos antes da realização da sessão, a prefeita Gleide Lima Santos conseguiu liminar judicial a seu favor, que proibiu os vereadores votarem e eventualmente afastarem a prefeita do cargo.

Foram sorteados para compor a comissão processante os vereadores Aníbal como presidente, Vagnaldo como relator, e Carlinhos como membro.

DSC_0484Um forte esquema policial foi montado no local. Cerca de 30 policiais, inclusive do Batalhão de Choque, estiveram no local. Vários seguranças ocuparam também a parte interna da Câmara Municipal.  Poucas pessoas conseguiram entrar para acompanhar a sessão. A imprensa e a população aguardaram até o final da sessão,

Do lado de foram do prédio da Câmara Municipal, duas multidões de pessoas se formaram, protestando contra e a favor da prefeita Gleide, nem um incidente foi registrado nas manifestações.

DSC_0470DSC_0476DSC_0488DSC_0490DSC_0493DSC_0498DSC_0495DSC_0502

.

0 comentários :

Postar um comentário