.

.

.

quinta-feira, 1 de maio de 2014

Justiça declara legalidade da greve dos professores em Açailândia

Na tarde de ontem a justiça através do Juiz de Direito Ângelo Antônio, negou o pedido de liminar por parte da prefeitura de Açailândia que pedia a declaração da ilegalidade da greve dos professores municipais que já dura dez dias, a principal reivindicação é a redução da carga horaria de trabalho.

"(...) Vislumbro, neste primeiro olhar, como legítimas as pretensões da entidade sindical, representando os interesses dos seus associados, ao defender a paralisação das atividades com vistas a alcançar da Administração Pública providências factíveis para implementar um direito decorrente da lei e de decisão judicial, sem que tais providências impliquem, por via oblíqua, em prejuízos para os servidores.
Ante o exposto, INDEFIRO a liminar pleiteada.... CITE-SE e INTIME-SE.

Cumpra-se.

Açailândia/MA, 29/04/2014.

ÂNGELO ANTÔNIO ALENCAR DOS SANTOS,

JUIZ DE DIREITO"

 

* ÍNTEGRA DA DECISÃO PARA DOWNLOAD,.

1 comentários :

  1. Marcos Paulo - Piquiá4 de maio de 2014 06:05

    APENAS UMA OPINIÃO DE UM PAI.

    Quero aqui neste texto expor nada mais que minha opinião como cidadão e pai, sinceramente venho acompanhando todo desenrolar das manisfestações que primeiramente era pelo motivo do aumento salarial que foi concedido pela administradora do municipio após intensa negociação, pois bem de repente surge outra exigencia que fundamentada pela decisão judicial proferida por drº angelo juiz da comarca de Açailandia. Quero aqui neste momento fazer uma reflexão nesse fato que não levou em consideração os alunos e pais e somente um direito que é verdadeiro dos professores pela redução da carga horaria e o nosso direito de pais e filhos alunos onde foi observado?.
    Os professores e sindicato realmente estar preocupado com a qualidade do ensino em Açailândia ou será apenas uma manobra politica financiada por interesses proprios pelo fato de não receber as beneses que tinha no governo anterior alguem já teve a curiosidade de ver qual era o valor do salario da presidente do sindicato na gestão passada e por que somente agora ela acordou para exigir esse direito que é claro do educadores ou seja somente professor porque alguns tem tido um comportamento de marginal, agressor e sem compromisso com a população de alunos.
    Que é direito ninguem discuti agora quem tem que fazer a redução é a gestão não é sindicato e sim o corpo tecnico da secretaria de educação, de já adianto que como pai estou decepcionado com os professores para não generalizar pelo fato de ter excelentes profissionais.
    Antes as decisões eram tomadas primeiro pela administração Gonçalvinas e depois apresentada já como definida para os servidores a propria presidente já defendia a proposta dos gonçalves, quem não lembra de uma manifestação que começou na praça do pioneiro e acabou antes de chegar na secretaria de educação.
    Espero que todos entrem em acordo pois os prejudicados são somente os alunos e ninguem mais.

    Marcos Paulo - Piquiá

    ResponderExcluir