.

.

.

quarta-feira, 23 de julho de 2014

Marlon Reis lança hoje em São Luís o polêmico livro ‘O Nobre Deputado’

Um dos idealizadores da Lei da Ficha Limpa, o juiz eleitoral do Maranhão, Márlon Reis, lança em São Luís, nesta quarta-feira (23), o polêmico livro ‘O Nobre Deputado’, pela editora Leya. O evento será realizado no Auditório do Fórum Desembargador Sarney Costa, o Fórum de São Luís, às 19h.

Baseado em fatos reais, em ‘O Nobre Deputado’, Márlon Reis apresenta os resultados do trabalho feito a partir do que ouviu de políticos e pessoas envolvidas sobre como se define a eleição de um deputado federal ou estadual. A história foi construída baseada em um personagem fictício, chamado pelo juiz maranhense de ‘Cândido Peçanha’, e ganhou destaque nacional depois de ser usada como base para uma reportagem do programa Fantástico, da Rede Globo, sobre as artimanhas utilizadas por parlamentares para desviar recursos de emendas.

O juiz maranhense Marlon Reis, com um exemplar do polêmico livro O Nobre Deputado. Foto: Divulgação

A obra rendeu ao magistrado maranhense uma ameaça de representação ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ). A ação – que não chegou a ser protocolada – foi defendida pelo presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB/RN), que se sentiu incomodado com o teor da reportagem exibida no jornalístico. Segundo o peemedebista, a reportagem ‘desestimula o exercício da cidadania e, ao contrário do objetivo veiculado, reforça a ideia de que a política de nada serve à população brasileira’.

Na época da polêmica, no Maranhão, de todos os candidatos ao governo estadual, o advogado e ativista de direitos humanos, Antonio Pedrosa, foi o único a se manifestar publicamente a favor da obra e do juiz. Na Assembleia Legislativa, três deputados estaduais, Hemetério Weba, Carlos Milhomem e Manoel Ribeiro chegaram a lamentar e a criticar duramente o lançamento do livro.

Sinopse

‘Meu nome é Cândido Peçanha. Sou um deputado eleito democraticamente para representar o povo do meu Estado. [...] No Brasil, não importa o Estado, a única coisa que vira o jogo é uma avalanche de dinheiro. O jogo é comprado, vence quem paga mais. Sempre foi assim e sempre será. [...] Meu objetivo aqui é revelar como o poder transforma dinheiro em poder. É um sistema de engenhosidade formidável, complexo e encantador.’ Você sabia que o resultado de qualquer eleição no Brasil já está definido muito antes do encerramento da votação? Antes até da abertura das urnas? Isso nos faz pensar que a vontade do eleitor não vale muito no processo. O que conta é a quantidade de dinheiro arrecadado para a campanha vencedora, que usa a verba num esquema infalível de compra de votos. Arrecadou mais, pagou mais. Pagou mais, levou. Simples assim. Não existem números que comprovem tal fato, mas as diversas entrevistas realizadas por Márlon Reis ao longo dos últimos meses para realizar este livro, parecem desvendar o comprometimento do Congresso Nacional e das Assembleias Legislativas com uma gigantesca máquina que vicia todo o processo eleitoral do Brasil de forma assustadoramente eficiente. Isso explicaria muita coisa… O deputado Cândido Peçanha é uma personificação do que o autor viu e ouviu. Reunimos assim, num único personagem, os testemunhos de vários políticos que, mesmo não se conhecendo entre si e sendo dos mais variados pontos do país, se referem às mesmas práticas de modo minucioso e coerente.

`Por Atual7

0 comentários :

Postar um comentário