.

.

Curta o rei no Facebook

.

sexta-feira, 18 de julho de 2014

Vacinação contra a Hepatite “A” inicia na próxima semana em Açailândia

vacinação (1)

Coordenadores da unidade regional de saúde de Açailândia (Estado do Maranhão), por determinação do Ministério da Saúde, estiveram reunidos na última terça-feira (15), com coordenadores dos municípios que integram à Regional de Açailândia para passar as instruções normativas e informe técnico da introdução da vacina adsorvida Hepatite “A” (Inativada). Na mesma reunião, os profissionais da saúde discutiram ações que estão incluídas no calendário nacional de vacinação. Participaram da reunião, representantes dos municípios de Bom Jesus das Selvas, Vila Nova dos Martírios, São Francisco do Brejão, Buriticupu, Cidelândia, São Pedro da Água Branca, Itinga do Maranhão e representantes de Açailândia, local sede do encontro realizado na própria Unidade Regional. O encontro foi conduzido pelo coordenador do sistema de informação, Edmilson Brandão e pela coordenadora da rede de frios Raquel Rocha. Açailândia foi representada no encontro pela coordenadora de imunização, Adriana Parra e Maricélia Tavares (NASF) e pela odontóloga Denise Moreira.

O principal motivo da reunião foi para oficializar aos municípios que o Programa Nacional de Imunização (PNI) está ampliando o Calendário Nacional de Vacinação em 2014, com a introdução da vacina adsorvida Hepatite “A” (inativada). De acordo com dados do Ministério da saúde, a Hepatite “A” apresenta alta prevalência nos países com precárias condições sanitárias socioeconômicas e constituem um importante problema de saúde pública no Brasil. Alerta ainda que a hepatite “A” é habitualmente benigna, pode raramente apresentar uma forma grave (aguda, e fulminante), levando a hospitalização e ao óbito.

Os dados mais recentes confirmam que as crianças menores de 13 anos foram responsáveis por 68% dos casos positivos e constituem a faixa etária com as maiores taxas de incidências da doença. A prevenção desta doença viral continua a ser a arma mais importante para seu controle, pois não existem medicamentos antivirais específicos contra a doença. Por este motivo o PNI introduzirá a vacina adsorvida hepatite “A” (inativada) para crianças a partir de 12 meses de idade, a fim de protegê-la dessa doença futuramente.

Para o Brasil, a Organização Pan-Americana de Saúde (OPS) estima que ocorram 130 casos novos/ano por 100 mil habitantes e que mais de 90% da população maior de 20 anos tenha tido exposição ao vírus e o país é considerado área de risco para a doença. A principal via de contágio é a fecal-oral, por contato inter-humano ou por meio de água e alimentos contaminados. Contribui ainda para a transmissão, a estabilidade do vírus no meio ambiente e a grande quantidade de vírus presente nas fezes dos indivíduos infectados.

Já a disseminação está relacionada com a infraestrutura do saneamento básico e a aspectos ligados às condições de higiene praticadas.

De acordo com informações dos profissionais da saúde, para esta vacinação não será deflagrada uma campanha de mobilização em praças pública, será uma vacina de rotina. A vacina já deve está disponível a partir da próxima semana em todos os postos de saúde, e a princípio, será aplicada uma única dose. Lembram ainda, que é importante saber que o Ministério da Saúde introduzirá no calendário nacional de vacinação esta vacina para crianças a partir de 12 meses e até menores de dois anos, ou de um ano, onze meses, e vinte e nove dias. A meta de cobertura vacinal é de 95%

0 comentários :

Postar um comentário