.

.

.

quarta-feira, 20 de maio de 2015

Por Ordem Judicial Feirantes devem desocupar o Mercado Municipal de Açailândia hoje.

Mercado Municipal precisa ser reformado urgente. O local não oferece o mínimo de higiene para a população.

Vencidos todos os prazos e cumpridos todos os trâmites legais, determinados em decisão judicial, os feirantes do Mercado Municipal de Açailândia devem desocupar o estabelecimento comercial nesta quarta feira (20). A decisão foi do desembargador Paulo Sérgio, na quinta feira, 30 de abril.


Na sentença foi recomendado que os feirantes teriam 10 dias a partir daquela data para deixarem o Mercado Municipal de forma voluntária.

A decisão do desembargador Paulo Sérgio foi fruto de uma ação por parte da prefeitura do município, que recorreu a justiça para que os feirantes se retirassem e assim as obras de reforma do mercado pudesse ser iniciadas.

Ocorre que, a prefeita de Açailândia, Gleide Lima Santos (PMDB), anunciou que iria recuperar o mercado, já que o estabelecimento a anos se encontra totalmente inadequado para a venda de alimentos. Este ano o local já foi alvo de uma fiscalização por parte da Vigilância Sanitária que condenou as condições em que o estabelecimento se encontra.

Os feirantes, porém se negaram a sair para que as obras fossem iniciadas, com isso, se não houvesse nenhuma ação por parte do poder executivo os recursos federais destinados para a realização das obras seriam devolvidos.
Na decisão judicial, o desembargador Paulo Sérgio citou e destacou o ofício da Caixa Econômica Federal, informado que caso o prazo para inicio das obras fosse descumprido o contrato seria cancelado.

Políticos de oposição ao governo municipal estavam levando o feirantes a se recusarem sair alegando que as obras não seriam realizadas. No entanto a prefeita Gleide Santos afirma que o Mercado Municipal será devidamente reformado e entregue aos cidadãos que tiram seus sustentos vendendo alimentos no local.

"A obra será realizada e entregue a população do município. A forma como o mercado municipal se encontra é inadmissível. Agora com a decisão da justiça, iniciaremos as construções", afirmou a gestora.

O Mercado do município não oferece as minimas condições de higiene, em meio aos alimentos encontra-se ferrugem e estão armazenados em um ambiente propício para diversas bactérias.
A prefeita Gleide Santos já providenciou um local temporário para que os feirantes possam instalar suas bancas enquanto a reforma é realizada. Durante toda esta quarta feira (20) o município disponibilizará dois caminhões para que os feirantes retirem seus produtos. Já nesta quinta feira (21) uma força tarefa será montada para que seja retirado o que restar e as obras sejam iniciadas.

Fonte: www.maranhaoemfoco.com

0 comentários :

Postar um comentário