.

.

Curta o rei no Facebook

.

segunda-feira, 10 de julho de 2017

Deputado Sérgio Vieira promove e preside audiência pública sobre “monocultura”, em Açailândia

Audiencia 1

Durante toda a manhã da sexta-feira (07) aconteceu na Câmara Municipal de Açailândia a audiência pública com o tema: ‘Impacto Regional do Avanço da Monocultura no Estado do Maranhão’, realizada pela Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento da Assembleia Legislativa do Estado do Maranhão.

Na ocasião estavam presentes o deputado estadual Sérgio Vieira (PEN), responsável pela concretização de mais uma audiência no município; e ainda mais quatro parlamentares estaduais; o presidente da Câmara Municipal, Ceará, e demais vereadores; secretários municipais de Meio Ambiente, Educação e Agricultura; e lideranças políticas e comunitárias, além do representante da empresa Suzano, Flávio Moura.
De início Sérgio Vieira – que presidiu o evento – destacou que a audiência não tinha a finalidade de crucificar a Suzano, mas de discutir os principais problemas gerados pela monocultura, principalmente do eucalipto em Açailândia. “Não estamos aqui para crucificar nem a Suzano ou outra empresa. Estamos realizando esta audiência para levantarmos informações sobre os impactos produzidos pela monocultura e de que forma podemos reverter estes problemas, protegendo o meio ambiente e ainda promovendo emprego, renda e divisas para Açailândia”.
“Sempre me coloquei a disposição do município e disse que íamos trazer o parlamento estadual para dentro da cidade de Açailândia, para que tivéssemos uma dimensão maior do assunto para resolver esses problemas. E hoje estamos fazendo mais uma audiência pública tratando sobre o avanço da monocultura do eucalipto no município e de que forma ela pode impactar nosso estado e, principalmente, nossa região, pois percebemos algumas monoculturas na nossa região e queremos saber os pós e contras”, destacou ainda Vieira.
Audiência
No início da audiência profissionais liberais, presidentes de partidos,  associações e sindicatos levantaram pontos negativos referentes a monocultura, em especial a do eucalipto, realizada atualmente pela empresa Suzano Papel e Celulose, situada na vizinha cidade de Imperatriz.
Entre os pontos destacam-se: a concentração de grandes áreas produtivas, pouca geração de emprego e renda, tratamento da reserva legal, aumento de tráfego na rodovia BR010 (no trecho entre Açailândia e Imperatriz) e poucas divisas para o município. “Não podemos deixar que só o eucalipto tome conta das terras de Açailândia”, declarou na oportunidade o ex presidente da OAB local, Erno Sorvo.
Os vereadores também fizeram uso da palavra. Jarles Adelino falou das diversas outras monoculturas (soja, milho, etc) e disse que a Suzano precisa ser parceira com as siderúrgicas de Açailândia. Marquinhos falou da importância do agronegócio para Açailândia e região, na plantação de produtos alimentícios. Já Heliomar propôs a divisão de ‘hoyalties do eucalipto’ entre os municípios onde existam áreas de plantios. Também discursaram deputados e secretários municipais.
Ao final o representante da Suzano fez uma explanação sobre o que é eucaliptocultura e procurou responder todos os questionamentos. “Nós da Suzano vemos com muito bom olhos essa iniciativa da audiência, pois é uma chance que temos de esclarecer um pouco mais sobre a nossa atuação na região e também sobre a nossa cultura de plantar florestas de eucalipto. É uma oportunidade que temos de desmistificar algumas informações e mitos que existem contrários a esta cultura e também de apresentamos o comprometimento da Suzano não só com as pessoas e funcionários, mas também com o meio ambiente. Nós temos nossas áreas de reserva, cumprimos com a legislação, somos auditados por certificações internacionais, por bancos internacionais”, frisou Flávio Moura.

0 comentários :

Postar um comentário