.

.

.

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

Prefeitura de Açailândia rebate acusações “infundadas” de supostos gastos em reformas de escolas


O prefeito Juscelino Oliveira (PCdoB) respeita a liberdade de imprensa e a liberdade de expressão em geral, no entanto, os exageros e as notícias plantadas de forma vulgar, visando único e exclusivamente o alcance ao poder com o velho discurso da política antiga de construção de uma “cidade arrasada”, precisa ser combatido.

Nos últimos dias foi publicado de forma irresponsável, em redes sociais, que a prefeitura de Açailândia teria gasto 2 milhões de reais em reformas de escolas e outras gastos pontuais em escolas da rede pública, no entanto, conforme dois blog’s e uma pessoa intitulada “Armando Legal”, essas obras não foram realizadas, colocando uma dúvida na cabeça da população o que a gestão do prefeito Juscelino teria feito com esse montante EXORBITANTE, citando em manchete: ONDE ESTÁ O DINHEIRO?.

Em tempo

Licitar não é contratar, muito menos gastar recurso público!

Não se sabe se é por falta de conhecimento dos “pseudojornalistas” ou pura orientação de grupos políticos que ainda apostam na figura da “Terra Arrasada” para se chegar ao poder, mas o que se constata é que as informações levianas jogadas nas redes sociais, é simplesmente, como se diz no jargão jornalístico: uma grande BARRIGADA.

Vamos aos fatos

Em novembro de 2016 o município de Açailândia, com recursos em caixa, realizou um processo licitatório, ora vencido pela empresa Alicerce Construção e Prestação de Serviços Ltda, conforme contrato nº 001CP/007-RP/2016, para execução das obras e serviços de reparos, manutenção e pequenas reformas com fornecimento de materiais, equipamentos e mão de obra das escolas municipais Almirante Barroso, Fernando Rodrigues, Angelo Claudinei Capeloza, Rafael de Almeida, Pequeno Príncipe, Aldebarã, Novo Bacabal, Kiola Sarney, Eduardo Pereira Duarte e Antonio Oliveira Campos.

A empresa iniciou a 1ª etapa da execução das obras de manutenção e pequenas reformas em apenas 03 escolas, mas em seguida paralisou o serviço. O município comunicou oficialmente através de duas notificações extrajudiciais a empresa, e, não tendo uma resposta satisfatória, no dia 08 de dezembro de 2016 procedeu a rescisão unilateral do contrato, portanto a obra não foi realizada em sua totalidade cabendo ao município apenas cumprir com o pagamento de parte do serviço que foi prestado.

Ainda em 2016, quando o município se preparava para convocar a segunda colocada no processo licitatório ou a realização de outro certame, eis que o município é surpreendido com o bloqueio de diversas contas da PMA pelo TJ/MA, comprometendo assim todo o valor reservado para a reforma das escolas da rede pública, usado para pagamento de precatórios.

Enfim, sem recursos, o município ficou impossibilitado de realizar a tão necessária reforma das escolas da rede pública na época.

Em 2017 o município foi mais uma vez surpreendido quando se preparava novamente para realização de obras infraestruturais nas escolas de Açailândia. Outro bloqueio, desta feita realizada pelo governo federal nas contas do Fundeb. Quase 3 milhões de reais foram bloqueados, impedindo mais uma vez a realização de obra tão importante.

Desde o ano passado o prefeito Juscelino Oliveira, determinou à sua equipe de governo que agilizasse a conclusão das creches que estão em andamento, para transferir todas as crianças que hoje ocupam prédios adaptados. 01 creche já foi entregue a comunidade da Vila Ildemar e está em pleno funcionamento.

Creche Plano da Serra

Outro fator repudiado pela municipalidade foi o crime cometido pelo então intitulado “Armando Legal” ao adentrar em uma escola do Plano da Serra, segundo ele com autorização da diretora, para mostrar a situação precária do prédio utilizado pelos alunos. Até ai, mesmo com o erro cometido pela diretora, pois ao autorizar qualquer pessoa a adentrar na escola está colocando em risco a integridade dessas crianças, o “seu Armando Legal” ainda não havia cometido nenhum crime.

O crime cometido pelo pseudo jornalista na busca insana de atingir o gestor público do município, foi utilizar-se, segundo ele com autorização da mãe, da gravação de um vídeo de uma criança de cerca de 05 ou 06 anos de idade e jogar em todas as redes sociais.
Como fica a proteção das nossas crianças? E o Estatuto da Criança e Adolescente que foi simplesmente rasgado nessa ação estapafúrdia?

Até o sensacionalismo tem seu limite!

No mesmo Plano da Serra, uma moderna creche foi construída e as crianças da escola em questão já serão transferidas para este outro ambiente educacional. Isto o seu “Armando Legal” fez questão de esconder da população.

Assessoria de Comunicação PMA.

0 comentários :

Postar um comentário