.

.

.

quarta-feira, 21 de novembro de 2018

Artista açailandence concorre ao prêmio Nacional de Literatura



Xico Cruz é ator, poeta, cantor, membro da junina Matutos do Rei, e agora encara o concurso da Amazon, com a possibilidade de ganhar o prêmio nacional de literatura
“A ausência de meu pai adoeceu nossa rotina, cavou um vazio, alongou os cômodos da casa, empoeirou o silêncio, deixou as redes órfãs e nosso olhar distante. O terreiro onde passava as tardes fazendo redes desfiou-se os sentidos e os significados. Velava o luto sem certeza de morte. Os bichos, as árvores e os pássaros vinham saber seu paradeiro.”

O trecho acima faz parte da obra ‘Sebastião Poética Transmutação’, o quarto livro de Xico Cruz, seu primeiro romance. Ator, poeta, cantor, membro da junina Matutos do Rei, agora encara neste segundo semestre o concurso da Amazon, com a possibilidade de ganhar o prêmio nacional de literatura, o mais relevante dos últimos anos.

O livro sai da linha de escritas de poesias que permeia as suas duas últimas obras do autor, que são carregadas de vivências e imaginação. Neste romance, Xico conta como é a vida do protagonista. “Descrevo sobre o Sebastianismo maranhense. Sobre dom Sebastião, o rei que vira touro e mora na ilha dos lençóis.”

A sinopse do livro ressalta que Sebastião é uma criança angustiada pelo silêncio do pai e acalentada pela doçura da mãe. “Cresceu na espiritualidade, no misticismo das matas e rios. Tornou-se um homem atormentado pelo desejo e fascinado pela descoberta de seu corpo. Sebastião é filho do Sebastianismo e das Encantarias. É uma criatura.”

A obra é um e-book e está disponível no site da Amazon por apenas R$12,00. “A obra está disponível na versão digital; a ideia surgiu justamente por conta do concurso da Amazon, que não faz indicação, apenas você inscreve sua obra no concurso e a equipe de jurados escolherão o melhor livro”, relembra o autor.

Ele destaca outro trecho em que diz: “Minha mãe sentia falta de seu homem, seu amado; tentava encontrá-lo no cheiro de suas roupas, nos lugares onde ele sentava e nas coisas onde deixou seu olhar.

Desesperançada se retraia da vida. Que dor! Vê-la acalentando-se em uma blusa que ele gostava de vestir. Minha mãe não tinha mais ânimo para enfeitar a casa, mas ainda cantarolava canções de saudades e de encontros à beira-mar. A saudade desfiava sua alegria e arrancava suas forças. O pior de tudo é o silêncio da ausência e da incerteza. Foi então que descobri a diferença entre silêncio e solidão.


Comuniquei em sonho o sumiço de meu pai à minha avó, ela respondeu que sumir era melhor que morrer”.


Xico Cruz

Xico Cruz é ator, escritor, diretor teatral, membro da Junina Matutos do Rei. Além de escrever e criar os espetáculos da Junina, cria um personagem para ser o marcador. Atualmente reside na capitão maranhense e compõe a construção de um novo espetáculo ao lado de outros grandes artistas ludovicenses.

0 comentários :

Postar um comentário